Home > Games > Board / RPG > Shadowrun – O clássico cyberpunk está de volta à mesa!

Shadowrun – O clássico cyberpunk está de volta à mesa!

Shadowrun!

Shadowrun!

Todos nós gostamos de RPGs, certo? Sendo eles de fantasia, terror, crimes, espionagem ou cyberpunk… A lista é longa.  Mas e se colocassemos tudo isso junto? É assim que nasce Shadowrun. Bem, não exatamente, já que sua primeira edição data de 1989. Trata-se de um dos RPGs mais populares que existem, com milhares de fãs em todo o mundo.

Shadowrun é um RPG de ficção cientifica, em um futuro no qual magia e criaturas fantásticas coexistem. Ele combina os gêneros de cyberpunk, fantasia urbana e da criminalidade, com elementos ocasionais de conspiração, horror e espionagem.

Suas três primeiras edições, em 1989, 1992 e 1998 foram publicadas pela FASA. A quarta edição e a edição de vigésimo aniversário foram publicadas pela Fantasy Productions. Sua quinta edição, assim como a mais atual, saíram pela Catalyst Game Labs. E nem comentamos sobre os inúmeros suplementos lançados ao longo desses 27 anos.

No Brasil, a Editora Ediouro lançou a segunda edição em 1995, e em 1996 saiu pela Livraria Devir. E agora, em 2016, a New Order Editora nos traz a quinta edição. São muitas edições, certo? Nem tanto, se pensarmos que o universo de Shadowrun é tão vasto que, além de vários suplementos, seu universo ainda conta com 8 games, 2 jogos de cartas, 1 jogo de miniatura, e mais de 50 livros. Coisa pra nenhum Gibson botar defeito.

Raças pra que te quero.

Em Shadowrun, a magia se encontra com a alta tecnologia. No ano de 2012, aconteceu o Despertar e o mundo passou para o novo ciclo de magia, onde diversas criaturas místicas reapareceram. A magia voltou a ser acessível aos humanos, e diversas pessoas ao redor do mundo sofreram metamorfoses para se tornarem membros de raças fantásticas como elfos, orcs e anões e algumas variantes como gnomos, minotauros, etc. Este fenômeno foi chamado de Genética Inexplicável. (Fácil, não?).

Além de tudo isso, um virus conhecido como Vírus Vampírico Meta Humano (HMHVV em inglês), com inúmeras variantes, é conhecido por causar diversas mutações, transformando humanos em aberrações, carniçais, banshees e, claro, vampiros. E não para por aí. Com o retorno do cometa Halley, novos humanos conhecidos como metamorfos nasceram.

Ah sim, já ia esquecendo – também há Dragões!

Diversas raças fantásticas em um mundo futurista!

Diversas raças fantásticas em um mundo futurista!

Pílula Azul? Vermelha ou Verde Limão?

O jogo é ambientado em um futuro onde uma grande mudança trouxe a magia de volta ao mundo. A volta da magia, o surto de pragas, o evento de 2029, as Guerras Europeias, Ascenção das Províncias Chinesas e conflitos que atravessaram a Ásia e Europa deixaram os governos mundiais quebrados.

No ano de 2078, a habilidade mágica agora disponível para a humanidade se mistura e se choca com tecnologias avançadíssimas como implantes biônicos, realidade aumentada sempre frequente e, claro, a matrix, onde tecnautas projetam seus avatares para hackearem o mundo.

Usando o punk do cyberpunk, esta ambientação futurista é completamente high-tech e low-life. Megacorporações dominam o mundo e afogam governos, enquanto um cidadão sortudo trabalha quase todas as horas livres de seu dia para ter casa e comida. Os de menos sorte vivem na sarjeta, na violência e na criminalidade. Vitimados por policiais corruptos, ghouls sedentos de carne meta-humana ou corporações chefiadas por dragões que não ligam para onde estão jogando o seu lixo. Em meio a essa situação, existem aqueles que fazem da constante briga de interesses o seu ganha pão. Mercenários contratados para realizarem missões nas sombras – Os Shadowrunners.

Clássico cyberpunk!

Clássico cyberpunk!

See you! Keyboard Cowboy!

A tecnologia no jogo é extremamente avançada. Implantes tecnológicos e bioengenharia estão presentes o tempo todo. A nanotecnologia também está presente. Na quinta edição, houve uma mudança na guerra pelo ciberespaço, as corporações começaram a perder espaço para os hackers, modificando a matrix em pequenas redes, com isso criando o GOD (Grid Overwatch Division) – ou Divisão de Força Tarefa da Rede. Os hackers tiveram que se especializar para que não fossem pegos, com novas tecnologias. E assim na quinta edição, eles voltam a se chamar de Deckers.

It´s a kind of magic?

Aqueles capazes de interagir ativamente com as energias mágicas do Sexto Mundo são conhecidos como “Despertos”. O poder de um personagem na magia está atrelado ao seu atributo mágico. Os Despertos  possuem 3 categorias: magos, adeptos e adeptos místicos. Em termos gerais, os magos podem concentrar sua magia para fora, afetando ativamente o mundo à sua volta, enquanto adeptos podem concentrar sua mágica para dentro, passivamente aumentando seus corpos e mentes.

Magos são capazes de lançar feitiços, invocar espíritos, e criar artefatos mágicos chamados “foco“. Todos os magos seguem tradições que determinam a sua compreensão de magia, incluindo magos herméticos (cujo controle de magia vem através do estudo e manipulação de energia mágica – ou mana – e que podem convocar elementais em rituais demorados e dispendiosos) e xamãs (cuja magia deriva de uma conexão com a natureza através de um espírito totemico, e que podem convocar os espíritos da natureza associados a um determinado lugar).

Possibilidades são inúmeras!

Possibilidades são inúmeras!

Adeptos podem usar a magia internamente, a fim de acentuar as suas capacidades físicas naturais. Adeptos pode correr pelas paredes, usar objetos mundanos como projéteis mortais, quebrar objetos duros com um único golpe desarmado, e realizar proezas semelhantes de capacidade incrível. Todos os adeptos podem seguir um caminho muito pessoal (Caminho do Guerreiro, Caminho do Artista, etc.), que normalmente determina suas habilidades, e que podem ser muito diferentes para quaisquer dois adeptos.

Adeptos místicos, também conhecidos como magos físicos, são parte mago e parte adepto que podem distribuir seu poder mágico entre as habilidades de ambos os aspectos.

As engrenagens do destino.

O sistema do jogo é totalmente baseado em dados D6, com classes, tipos de habilidade e arquétipos. Todas as ações no jogo são feitas a partir do uso de habilidades – para fazer ataques em combate, é primeiramente dado um número que reflete a dificuldade da ação, que então é então aumentado ou reduzido por vários modificadores, como as condições ambientais, a condição do personagem, o uso das próteses mecânicas, e assim por diante. O personagem, em seguida, rola um número de dados igual ao seu nível da perícia relevante, e depois o número de dados a serem lançados que atendam ou excedam o número de dificuldade é que determina se o personagem é bem-sucedido em executar a ação, e qual o grau de sucesso que o personagem tem.  Muito parecido com o sistema de D10 de Vampiro e outros RPGs, mas usando o D6.

Shadowrun é um magnífico RPG que mistura todos estes atributos para criar uma excelente experiência, tanto para jogadores quanto para os mestres, com sua vasta gama de raças, e combinações juntamente com um sistema fácil e completo, que o tornam uma companhia agradável para QUALQUER estilo de jogo. Algumas pessoas podem considerar a criação de personagem um pouco complexa demais, mas acredito que ela vale a diversão que proporciona.

E acho que a maioria do pessoal concorda, pois no dia em que a New Order liberou a pré venda de sua caixa da felicidade introdutória, o site ficou congestionado e saiu do ar dado o número de acessos.

Diversão está garantida!

Diversão está garantida!

A versão nacional.

Todos podemos ver que a New Order caprichou. A caixa introdutória foi lançada na World Fest RPG em setembro, e o pessoal que comprou na pré venda já está recebendo o material. Devo dizer que a versão nacional não perde em nada para a original, o acabamento e o capricho usado pela New Order é louvável. E eles ainda pretendem lançar um outro box, o Alphaware, e finalmente o livro básico.

A caixa introdutória contém:

Guia do Universo: Uma exploração de 24 páginas do mundo de Shadowrun.

Regras para Início Rápido: Regras rápidas e uma breve aventura para dar um gostinho.

Um livreto de personagens prontos: Permite que um mestre e uma pessoa joguem uma aventura solo.

4 fichas com personagens prontos: Detalhes que permitem até quatro jogadores se divertirem com a ajuda de um mestre.

Dados: Nunca se esqueça dos seus D6!

Para qualquer jogador de RPG, Shadowrun é uma experiência obrigatória e mais do que satisfátoria, e lembrem-se: Nunca façam acordos com os dragões!

 

Já leu essas?
jogo de tabuleiro
Jogo de tabuleiro REALMENTE antigo é descoberto na Eslováquia!
arquivo x
Arquivo X terá deck game lançado pela IDW Games!
d&d monster manual
Mod permite jogar 5e com monstros do D&D Monster Manual!
rpg
EN World anuncia os RPG’s mais aguardados de 2018!