Home > Cinema > Artigos > O ranking da franquia Alien: do pior ao melhor!

O ranking da franquia Alien: do pior ao melhor!

O pior e o melhor da franquia Alien

Com a data de estreia do esperado Alien: Covenant se aproximando (já conferiu o nosso Formiga Na Cabine sobre o filme?), nada melhor do que retornar a todos os longas que transformaram o xenomorfo em um dos vilões mais icônicos da história do Cinema. Com filmes bons, medianos e outros muito ruins, a saga teve de tudo um pouco. Que tal conferir a posição de cada um deles no ranking que o Formiga Elétrica preparou especialmente para vocês?

Lembrando que não temos a pretensão de sermos definitivo sobre o assunto. O nosso objetivo é entreter o leitor e propor uma discussão sadia sobre um assunto que todos nós amamos: o Cinema.

O ranking da série dos filmes Alien

Ordenamos os filmes Alien de acordo com sua qualidade. Confira a lista!

Obs: os filmes Alien Vs. Predador e Alien Vs. Predador 2 não entraram no ranking. Consideramos esses dois longas obras derivadas e não integrantes do universo Alien.

Confira o nosso ranking!

06 – Alien: A Ressurreição (Alien: Resurrection, 1997)

De todos os filmes que fazem parte da franquia Alien, é muito difícil não considerar o longa de 1997 como o pior de todos. Cartunesco, bizarro e fora de tom, o filme de Jean-Pierre Jeunet (que conta com um roteiro de Joss Whedon) ainda tem a cara-de-pau de transformar Ripley numa espécie de super-heroína indestrutível, manchando a imagem da personagem indelevelmente. Um trabalho a ser esquecido por todos aqueles que estiveram envolvidos e também pelos desafortunados que o assistiram. Será que existe algum procedimento médico capaz de apagar alguns filmes da nossa memória?

 

05 – Alien: Covenant (Idem, 2017)

Como Alien: Covenant é decepcionante (aliás, a crítica já está no ar)! Muitas pessoas estão esperando ansiosamente pelo novo retorno de Ridley Scott ao universo que criou originalmente, porém, é bem provável que a expectativa se converta em desapontamento. Genérico, mal construído e adicionando muito pouco à mitologia do xenomorfo, o filme é um erro do começo ao fim. É quase imperdoável que o cineasta responsável por dar início à franquia mostre, depois de tanto tempo, uma total falta de intimidade com o material que tem em mãos. Depois desse filme, caso a saga continue, é melhor ter outro diretor no cargo. A chance de sucesso é maior. Talvez a aposentadoria seja a melhor alternativa para Scott.

 

04 – Prometheus (Idem, 2012)

Se Alien: Covenant está gerando muitas expectativas, Prometheus conseguiu gerar ainda mais. Todos queriam saber a origem da história e como tudo se desenrolou. O problema é que ninguém imaginava que iria assistir a uma baboseira pseudo-filosófica com ares de alta intelectualidade e uma narrativa constituída de arquétipos vazios e arcos dramáticos desinteressantes. No entanto, se no que diz respeito à realização, o longa de 2012 está no mesmo nível do atual, do ponto de vista artístico, ele é mais ambicioso (embora a sua ambição não se concretize, e o resultado final seja demasiadamente pretensioso). É somente por causa disso que está em quarto lugar e não no quinto no nosso ranking.

 

03 – Alien 3 (Idem, 1992)

Aqui nós começamos a entrar na seara dos bons filmes da franquia. Existem duas versões diferentes de Alien 3: o corte que foi aos cinemas em 1992 e o Assembly’s Cut, que foi lançado em DVD e cuja montagem final foi feita a partir das anotações de David Fincher, o diretor do longa. A primeira dessas versões é desastrosa. O estúdio mexeu onde não devia, e a história ficou desconjuntada. Já na versão definitiva do diretor, a trama ficou muito mais clara, e o arco dramático de Ripley chegou ao seu momento derradeiro de uma maneira apoteótica. Com uma atmosfera melancólica e desesperançosa, o longa conseguiu construir uma ambientação em que o ato final da protagonista é inteiramente condizente com a sua trajetória. Um filme digno para uma das personagens mais fascinantes da Sétima Arte.

 

02 – Aliens, O Resgate (Aliens, 1986)

Como fazer a sequência de um primeiro filme cuja qualidade e sucesso de público são inegáveis? A resposta é simples: chamando James Cameron para a empreitada. Depois da recepção calorosa a Alien, O Oitavo Passageiro, a 20th Century Fox se viu com uma batata quente nas mãos. A tarefa de sequenciar o longa de 1979 não era fácil. Mas Aliens, O Resgate foi muito bem sucedido nela. Mais longo, mais explosivo e mais empolgante, o longa elevou o que havia dado certo no filme anterior à enésima potência. O saldo é uma obra histórica, que tem cenas de ação de tirar o fôlego, um suspense enervante e personagens inesquecíveis, como o falastrão Hudson (interpretado pelo recém-falecido Bill Paxton), o carismático Hicks (Michael Biehn) e o sensível androide Bishop (Lance Henriksen).

 

01 – Alien, O Oitavo Passageiro (Alien, 1979)

Não tinha como ser diferente: Alien, O Oitavo Passageiro é e sempre continuará sendo o melhor filme da saga. Responsável por iniciar uma franquia milionária que se estende até os dias de hoje, o longa de Ridley Scott é, ao contrário de todos os filmes que vieram posteriormente, minimalista. Aqui, tudo é mais silencioso, sugestivo, compassado e misterioso. Além disso, se a mitologia da história não tivesse sido extrapolada, o filme seria um dos projetos mais enigmáticos já testemunhados. A trama acaba e quase nada sabemos sobre a protagonista, os personagens e o a figura que lhes ameaça. Assim como no espaço que os acolhe, estaríamos completamente no escuro. Trazendo uma destreza de composição que é típica dos filmes feitos na Europa, Scott, no seu segundo longa metragem, ajudou a elevar o suspense espacial a um alto nível de realização artística. (Aproveite e confira a resenha da novelização deste roteiro)

 

Gostou? Achou que o ranking foi injusto? Colocaria os filmes numa ordem diferente? Comente!

Já leu essas?
Crítica de Tempestade: Planeta em Fúria
Tempestade: Planeta em Fúria – O espectador também…
Crítica de Além da Morte
Além Da Morte – E também da qualidade, inteligência e do bom senso!
Crítica do filme Bom Comportamento
Bom Comportamento – Marginalidade pulsante e afetos desajustados!
space between
Curta The Space Between Us mostra futuro distópico de poluição!
  • Alexander Meireles da Silva

    Muito bom Miguel, concordo em gênero, número e grau.

    • Miguel Forlin

      Muito obrigado, Alexander! Fico feliz que tenha concordado, e, mesmo se não tivesse, o seu comentário seria muito bem vindo. Estamos aqui para para servi-los!

  • Doug Germano

    Triste ver como o Alien e outros filmes que tinham tanta personalidade, originais e ao mesmo tempo tão sutis, são transformados em suas “continuações”…como dito no começo da matéria, eu tento apagar da memória tb hahahah (exterminador acabou no filme do guns n roses certo?! Predador vs alien?! nunca ouvi falar….).

    Tenho muita esperança no blade runner ainda…pelo denis villeneuve.

    Não quero ser chatão, mas façam mais podcasts se possível, bom ouvir o Daniel xingando tudo, me sinto representado.

    Muito foda o site! como sempre.

    • Miguel Forlin

      Obrigado pelos elogios, Doug! Estamos fazendo lives semanalmente no Facebook. Chegou a conferir?