Home > Seriados > Artigos > Jane, The Virgin – Quando a vida é uma telenovela!

Jane, The Virgin – Quando a vida é uma telenovela!

 Jane, The Virgin é a santa comédia da CW

Drama, comédia, romance, lágrimas. Uma grávida virgem, um ator de novela, chefes do tráfico de drogas e irmãos gêmeos perdidos. Tudo isso nos primeiros momentos de uma série que teve 100 episódios, distribuídos em 5 temporadas. É, amigos, estamos falando de Jane, The Virgin.

Exibida no canal CW de 2014 a 2018, a série é uma adaptação da novela venezuelana Juana, La Virgen e é protagonizada pela vencedora do Globo de Ouro Gina Rodriguez. A trama gira em torno de Jane Villanueva, uma jovem latina e religiosa que vive em Miami com sua mãe, Xiomara (Andrea Navedo) e sua “abuela” Alba (Ivonne Coll). Durante uma consulta médica, que deveria ser de rotina, sua ginecologista, Dr. Luisa Alver (Yara Martinez), acaba acidentalmente inseminando a jovem, que ainda é virgem, pois estava se guardando para a noite de núpcias com seu noivo, Michael Cordero Jr (Brett Dier), um detetive incorruptível.

O dono do esperma com o qual Jane é inseminada é ninguém menos que Rafael Solano (Justin Baldoni), dono do hotel Marbella, onde Jane trabalha como garçonete. E tem mais: Rafael é irmão da Dr. Luisa Alver! O erro ocorre após Luisa terminar seu relacionamento com Rose, que é sua madrasta, chefe do crime organizado e ainda faz plásticas em bandidos. Esta história doida não estaria completa sem a narração impecável em terceira pessoa de um ser onisciente e com as fantasias românticas criadas na cabeça de Jane, que sonha ser escritora. A moça ainda descobre que o astro das telenovelas Rogelio de la Vega (Jaime Camil) é seu pai biológico e quer fazer parte de sua vida.

Jane The Virgin

Personagens reais e humor inteligente

A família é a base de tudo na série. Mesmo com a loucura que vira o ciclo familiar de Jane, o amor envolvido entre todos é mais forte. O roteiro é tão crível, que podemos reconhecer na tela nossas próprias mães, que lutam todos os dias pelo nosso melhor, assim como nossas avós, que estão sempre preocupadas e desejando que sejamos puros para sempre. São personagens escritos – mesmo com seus exageros – de forma real. Jane tem um trabalho de meio período do qual não gosta, mas precisa do salário para ajudar em casa, pagar a faculdade e correr atrás de seus sonhos como muitos de nós.

Jane, The Virgin passa por vários campos da comédia, além de misturar o drama de uma gravidez indesejada com o suspense da história dos traficantes de Miami. Gags visuais vem e vão, enquanto letras flutuam na tela, como se o roteiro estivesse sendo criado naquele momento. O narrador comenta sobre como “a audiência não gosta de ler”, sobre a falta de continuidade em alguns filmes e brinca com a metalinguagem.

As diferenças linguísticas, presente em personagens como a “abuela” Alba, que fala somente em espanhol e mesmo assim é entendida, ou a mãe de Petra, que fala em tcheco enquanto planeja algo macabro, é um dos pontos que fazem com que a versão dublada da série não seja tão boa. Acaba-se perdendo grandes piadas com a falta de sotaques.

Jane The Virgin

Sucesso e representatividade

Jane, The Virgin agradou tanto o público quanto a crítica, e contou com participações especiais de nomes como Bruno Mars, Britney Spears, Kesha, Gloria Estefan e Rita Moreno. O medo do cancelamento, comum para alguns seriados, não foi uma preocupação, já que a audiência se manteve alta do início ao fim. Por três anos seguidos, Jane, The Virgin esteve presente na lista de melhores séries do ano do site Metacritic e seu misterioso narrador concorreu duas vezes ao prêmio Emmy.

Por mais que seja uma comédia,se trata de uma série sobre mulheres fortes e que aborda temas como depressão, o mito da maternidade, racismo e homofobia. É tão delicada, que até mesmo os vilões são amáveis. Suas motivações podem ser as mais estranhas, mas ainda assim você quer saber os próximos passos que eles vão tomar. A protagonista muda bastante após o nascimento de seu filho, Mateo, e a trama passa por algumas reviravoltas importantes e engraçadas.

Jane, The Virgin é leve, charmosa e tem um humor inteligente, mesmo utilizando vários clichês. Ninguém espera ser salvo e cada um corre atrás de seu próprio sonho. E, caso você se perca durante a trama, não se preocupe: o narrador recapitula tudo durante o inicio até cansar!

Já leu essas?
Alta Ansiedade - Mel Brooks
Alta Ansiedade, de Mel Brooks, no Formiga na Tela!
The Expanse - Formiga na Tela
The Expanse e a relação com o agora no Formiga na Tela!
Cultura Pandemia FormigaCast
Cultura em tempos de pandemia na pauta do FormigaCast!
Querido Papai Noel - Formiga na Tela
Nossos pedidos para 2022 no último Formiga na Tela do ano!