Home > Livros > Análises > Star Wars: Provação – História intrigante do Universo Expandido!

Star Wars: Provação – História intrigante do Universo Expandido!

Star Wars: Provação

Quando George Lucas concebeu o primeiro filme de Star Wars, ele havia criado muito mais que uma simples história, trazendo um universo futurista que, para além dos três filmes clássicos, tinha potencial para um desenvolvimento ilimitado de novas tramas e personagens. Foi assim que, antes mesmo de rodar os três capítulos iniciais posteriormente, surgiu uma avalanche de novas histórias, autorizadas por ele mesmo, que povoariam esse novo universo criativo. Durante muito tempo, foram liberadas somente histórias ambientadas cronologicamente entre os filmes da saga, todavia Lucas finalmente cedeu e autorizou histórias situadas para além de O Retorno de Jedi.

O Universo Expandido incluía o futuro dos personagens após O Retorno de Jedi!

O Universo Expandido incluía o futuro dos personagens após O Retorno de Jedi!

Basicamente, o Universo Expandido é composto de livros, quadrinhos, games e outras mídias onde essas histórias possam ser contadas. Após a aquisição da Lucasfilm pela Disney e o planejamento de mais filmes da saga, ficou determinado que os filmes seguiriam sua própria cronologia e que não incluiriam necessariamente essa mitologia, sendo esse material agora editado sob o selo Legends. Uma dessas histórias já foi resenhada aqui no site!

Troy Denning

Troy Denning

Star Wars: Provação (Crucible, 2013), de Troy Denning, faz parte deste Universo Expandido e a ação se situa 40 anos após O Retorno de Jedi. Na trama, Lando Calrissian pede ajuda a Leia e Han Solo (agora casados, sendo Leia uma experiente Jedi) para resolver problemas com piratas espaciais em uma fenda onde Calrissian controla uma mineradora de exploração de asteroides. O problema aumenta quando os Jedis começam a perceber uma atuação cada vez mais intensiva de uma empresa chamada “Tecnologias de Exploração Galática” (TEG) que atua em vários campos econômicos da galáxia, desde robótica, construção e mineração entre outros, e que tem agido cada vez mais para eliminar seus concorrentes de maneira sórdida e controlar economicamente a galáxia, aparentemente contando também com a ajuda dos Sith, o que leva Luke Skywalker, agora Grão-mestre da Ordem Jedi, a investigar o caso. Não se preocupe se você só conhece Star Wars pelos filmes, pois o livro lhe informa sobre os acontecimentos-chave de forma que você não fique perdido, e sim – no máximo – curioso sobre determinados personagens que surgem ou são mencionados ao longo da trama. No entanto, um livro que aborda um universo tão rico não tem sequer um prefácio ou texto explicativo,  que seria muito útil para situar o leitor e o ajudar a imergir neste universo.

Os personagens em idade avançada na ilustração de uma das edições originais!

Os personagens em idade avançada na ilustração de uma das edições originais!

O livro é muito bem escrito, com os capítulos intercalando os núcleos de ação de forma bastante dinâmica. A caracterização dos personagens clássicos é outro ponto forte. Em alguns momentos você consegue ver toda aquela displicência de Han Solo, a mesma que Harrison Ford imprimiu no personagem, ou mesmo a sagacidade típica de Lando Calrissian. Ao passo que a maioria dos heróis tem uma relação mais humana em relação as adversidades, Luke adota um tom mais paternal, sempre lembrando os personagens que o ódio e a vingança levam ao lado sombrio. Os vilões também recebem a devida atenção, com diálogos e subtramas próprias, e para nossa alegria, o C-3PO quase nem aparece!

c-3po

Quase ausente na trama…

Uma das coisas legais no livro é o tom mais investigativo adotado, em detrimento da ação que não costuma funcionar tão bem em uma mídia não visual. Não que ela não exista – existe e é muito bem aproveitada – todavia os Jedis não estão lá apenas lutando contra uma ameaça facilmente identificável, mas o próprio problema em si surge aos poucos, através dos eventos e da investigação adotada. A Força aqui também é usada de novas maneiras, como por exemplo para identificar medo ou confusão nas respostas dos personagens, como um detector de mentiras. Aliás, os novos usos dela surpreendem, servindo não apenas para revelar os anseios dos personagens como também para localizá-los. A Força também tem um papel curativo e regenerativo na trama, que embora a princípio possa parecer conveniente demais (e de fato é), por outro lado permite que os personagens se machuquem bem mais, inclusive resistindo a explosões.

A Millennium Falcon não poderia faltar! *Ilustração de José Luiz Martin

A Millennium Falcon não poderia faltar! *Ilustração de José Luiz Martin

Os maiores problemas ocorrem justamente quando o livro tenta ser filme, e acaba descrevendo cenas de ação que duram poucos segundos com um nível de detalhamento que consome vários parágrafos, quebrando o ritmo da narrativa, o que felizmente não ocorre com frequência. Outro problema em certo momento da trama envolve coincidências pertinentes demais, como uma nave cair justo no planeta certo, e na fuga os heróis se encontrarem justamente com personagens-chave para uma grande virada a seu favor. Mais um deslize próximo ao final – e isto é uma questão de preferências pessoais – relacionado com os anseios e expectativas do leitor a respeito dos personagens clássicos. Fica difícil fazer uma análise mais elaborada sem cair nos spoilers, mas envolve uma certa indecisão do autor sobre que fim daria às caras conhecidas da saga, ao passo que investe em um tom etéreo e místico para a Força, de forma um tanto exagerada e piegas. A própria contra-capa do livro acaba quase entregando algo um tanto quanto controverso. O excesso de termos criados para coisas que não existem é outro ponto confuso, mas logo o leitor acaba entendendo o que é determinado apetrecho, como por exemplo, uma parede de transparaço ser um aço transparente. Há também momentos em que há uma certa confusão relacionando eventos e personagens, provavelmente um problema de tradução.

Os Mandalorianos marcam presença na história!

Os Mandalorianos marcam presença na história! *Artista desconhecido

Star Wars: Provação pode talvez frustar fãs mais puristas da saga, mas se insere naturalmente no Universo Expandido e nos apresenta uma aventura bastante dinâmica e divertida. A ação é balanceada e a química entre os personagens é forte, nos trazendo uma trama que envolve uma relação muito mais complexa entre Bem e Mal, onde os personagens são movidos não somente por suas paixões mas também por dinheiro, que também é poder. Certamente, o fim que o autor escolhe para os personagens não agradará a todos, mas traz algo de renovação e nos entrega um cenário pronto para histórias igualmente desafiadoras, envolvendo as forças que regem esse universo.

Já leu essas?
Duna livro e filme - FormigaCast
Duna, o livro e o filme, em dois eps. do FormigaCast!
Last and First Men - Olaf Stapledon
Last and First Men, a FC que influenciou gerações, no Formiga na Tela!
Indiana Jones e Os Caçadores da Arca Perdida - FormigaCast
A estreia de Indiana Jones no cinema é a pauta no FormigaCast!
Ubik, de Philip K. Dick, no Formiga na Tela!