Home > Cinema > Artigos > Match Point – Ponto de Woody Allen!

Match Point – Ponto de Woody Allen!

Match Point é um dos raros filmes de Allen onde não existe comédia em nenhum momento, apenas uma trama séria com personagens bem desenvolvidos

Existem momentos em que em uma partida de tênis a bola bate na fita, e numa fração de segundos, pode tanto ir pra frente como pra trás; com um pouco de sorte ela vai pra frente e você ganha, ou talvez não, e aí você perde“. É com essa frase que Woody Allen abre o seu filme Match Point, película essa que se resume muito sobre se existe ou não a sorte, e a até que ponto o ser humano consegue chegar sendo frio e calculista.

match point

A trama se passa em Londres onde o irlandês, ex tenista e atual professor de tênis Chris (Jonathan Rhys), acaba de chegar na cidade. Logo que chega começa a dar aulas para Tom (Matthew Goode), a amizade dos dois começa logo no primeiro contato; e, por meio de Tom, Chris acaba conhecendo Chloe (Emily Mortimer), sua irmã, que fica apaixonada por Chris à primeira vista. É claro que, como um bom filme de Woody Allen que é, não poderia faltar em Match Point uma trama que envolva adultério. Tudo muda na vida de Chris no momento em que o mesmo avista pela primeira vez a bela Nola (Scarlet Johansson), noiva de seu amigo, Tom. Mulher essa que muda completamente a sua cabeça, o deixando obcecado a ponto de acabar dormindo com ela, após Nola ter uma discussão com a mãe de seu noivo, Tom.

Com o passar do tempo Tom acaba se separando de Nola, e isso faz com que Chris fique ainda mais louco por ela, saindo a sua procura até finalmente encontrá-la. Após acontecer o encontro, um caso extraconjugal começa entre ambos e com o decorrer da história as coisas vão ficando cada vez piores. Com um dos melhores plot twists que Allen já escreveu, o filme consegue nos deixar tenso do início ao fim por mostrar o cinismo e frieza de Chris – e como ele resolve toda a situação causada por ele mesmo.

O velhinho não decepciona

O longa tem uma história que flui naturalmente – ponto para Woody, que não deixa a narrativa cansativa em nenhum momento das suas 2 horas e 4 minutos de tela. Esse é outro ponto importante na trama: o roteiro. Elogiar o trabalho de Woody Allen é chover no molhado. Um dos maiores diretores e roteiristas do cinema, que produz um filme por ano há mais de 4 décadas, ainda consegue ter uma competência acima da média na maioria de seus filmes. A maneira como ele construiu a história com base na “sorte” ou “azar” é muito interessante, pois ele surpreende o espectador com algo que ninguém imaginava. É claro que nem sempre é possível acertar (ex. Magia ao luar), mas, na média geral, ele quase nunca erra. Com Match Point, Woody brinca com a sorte, e faz isso de maneira magistral, surpreendendo o espectador com o desfecho da história.

A fotografia também é um dos pontos fortes

Quase todos os filmes de Woody possuem uma bela fotografia. Match Point foi filmado anos antes do diretor passar por Roma, Paris e Espanha. Porém, Allen soube aproveitar muito bem o que Londres tem a oferecer. Mostrando todos os pontos turísticos da cidade como o Palácio de Buckingham, London Eye e alguns museus, por exemplo. O diretor também aproveitou as locações no interior da Inglaterra para fazer grandes takes abertos e mostrar toda a beleza da natureza inglesa.

Um dos melhores filmes de Woody

Sim, na opinião de quem vos escreve, esse é um dos melhores filmes de Allen. O motivo é simples: uma história muito bem construída e nem um pouco cansativa. Não vai virar um clássico do diretor, porém é um dos mais importantes filmes escritos e dirigidos pelo mesmo.

Já leu essas?
Doutor Estranho - Full Moon
Doutor Estranho como você nunca viu no Formiga na Tela!
Django - Sergio Corbucci
Django, o original de Sergio Corbucci, no Formiga na Tela!
Filme bom, Final Ruim - FormigaCast
Filmes bons com final questionável na pauta do FormigaCast!
Jornalismo Político no Cinema - Formiga na Tela
Jornalismo e política no Cinema na pauta do Formiga na Tela!