Home > Programas > FormigaCast > Segunda temporada do Demolidor no FormigaCast!

Segunda temporada do Demolidor no FormigaCast!

Depois de surpreender todo mundo no ano passado, a segunda temporada do Demolidor estreou na Netflix com grandes expectativas. Conversamos um pouco sobre as qualidades deste novo arco televisivo do herói cego da Marvel, assim como aquilo que não agradou tanto. Ainda sobrou tempo para especular o que pode vir a seguir.

Ouça, baixe, comente e compartilhe! Até a semana que vem!

Já leu essas?
incriveis
Poderes incríveis – As inspirações para Os Incríveis, da Pixar!
Além da Imaginação no Formiga na Tela
Além da Imaginação original no Formiga na Tela!
aranha homem
Na Teia do Aranha – As 10 Melhores Histórias do Homem-Aranha!
Crítica de Okja, produção original da Netflix
Okja – A fábula infantil do diretor Bong Joon-Ho!
  • Saulo Roberto de Oliveira

    Gostaria de mandar um alô ao povo do Formiga Elétrica, e fazer algumas considerações: Matt Murdock faz o papel de cético o tempo todo. Eu aceitaria isto do personagem se ele estivesse restrito ainda à Fox, e os direitos não tivessem retornado à Marvel, e por conseguinte, ao Universo cinemático desta. O problema é que tanto o personagem havia retornado à Editora, bem como na primeira temporada dá-se a entender, em diversos momentos, que os eventos que ocorreram em Nova York em relação aos Vingadores, bem como a existência destes são presentes. Ou seja, Matt Murdock está em um Universo onde há um deus, um supersoldado e um gigante, para dizer o que são “impossíveis”, embora o Homem de Ferro seja o mais factível. Eu acreditaria nisto. Outra coisa que me chamou a atenção, e até me irritou, mas funcionou é o fato do Murdock dizer que a cidade de Nova York é DELE. Ele revela uma arrogância sem igual, muito forte, e quando ele coloca isto diante do Rei do Crime, leva ferro bonito, até mesmo torci para o Fisk naquele momento. Concordo mais ou menos com tudo que disseram. A segunda temporada realmente está abaixo da primeira, mas ainda assim funciona.

    • Valeu por comentar, Saulo! Suas considerações têm muito fundamento, aliás, até evidenciam um problema dentro das próprias HQ’s que lidam com universo compartilhado de super-heróis, às vezes desafiando nosso poder de suspensão de descrença. Hehehe Sobre a arrogância do protagonista, esse é realmente o ponto forte da série, que dá mais profundidade aos personagens do que propriamente ao roteiro. O momento que você citou foi realmente épico, muito disso graças à qualidade dos atores. Bem, veremos o que vem por aí… Obrigado mais uma vez, amigo! Abraço!