Home > Programas > FormigaCast > O Terror e A Bruxa no FormigaCast!

O Terror e A Bruxa no FormigaCast!

O Terror sempre contou com um grupo enorme de fãs. Mesmo com a qualidade duvidosa da grande maioria das produções cinematográficas ano a ano, o interesse de um público a fim de sentir medo não acaba. É por isso que a turma do Formiga Elétrica resolveu bater um papo sobre esse gênero. As origens, os conceitos e alguns dos filmes que gostamos, entre outros tópicos, passaram por essa conversa, dedicando o último bloco a comentar o fenômeno A Bruxa, filme que acaba de estrear e tem dividido opiniões por aí.

Assista aos episódios dos Formiga na Tela dedicados a O Exorcista, Deixa Ela Entrar e Sede de Sangue!

O curta Ninjas também foi citado no programa!

Também falamos de Haxan e de ratos com toxoplasmose!

Ouça, baixe, assine, comente e compartilhe! Voltamos na próxima semana!

Já leu essas?
Crítica de Mulheres Divinas
Mulheres Divinas – Raso, mas ainda relevante!
ccxp 2017
CCXP 2017 faz a alegria dos fãs com painéis cheios de atrações!
Dcocumentário Lumiere
Lumière! A Aventura Começa – Autores no Cinema de Atrações!
Prós e Contras do Streaming.
Prós e contras do Streaming no papo do FormigaCast!
  • Mateus Almeida

    Colocando alguns Formigacasts em dia! Mais um ótimo programa, galera! Apesar de não ter sentido muito medo no filme – já que acho qualquer filme que envolva Bruxas meio bobo – encaro “A Bruxa” como um filme bastante elegante!! Infelizmente acho que perde muito, como foi comentado no cast, com a cena da bruxa e do bebê sendo mostrada logo no início. Na verdade, por mim, eu não teria colocado nenhuma bruxa no filme e criaria a tensão toda em cima da dúvida sobre o envolvimento da filha com magia negra e o fanatismo da fé! Sobre a parte da história dos filmes de terror, fica uma menção ao clássico “O Gabinete do Doutor Caligari”, que passou despercebido! Continuem o ótimo trabalho, galera! Não terminem o cast!! o/

    • Fala, Mateus! Valeu pelas palavras gentis. A Bruxa é um caso polêmico mesmo, mas como você mesmo observou sobre a elegância, está bem longe de ser ruim como algumas pessoas que esperavam sustos fáceis latiram por aí. Sobre o Doutor Caligari, realmente é um clássico que poderíamos ter lembrado (hehe). Agradecemos o elogio, mas o podcast vai entrar mesmo em um hiato indeterminado depois da publicação do programa sobre Capitão América: Guerra Civil. Está difícil mantê-lo, mas continue acompanhando nosso trabalho no site e no Youtube! Abraço, amigo!

  • 0-Drix

    Só para lembrar que em “O Bebê de Rosemary”, o tal bebê da protagonista jamais aparece na tela ´nem tampouco seus supostos olhos vermelhos – os quais apenas são citados por um dos satanistas como “olhos iguais aos do pai”. Mas isso foi o bastante para que inúmeras pessoas assistissem ao filme e dissessem que viram o bebê no final da película.
    Achei “A Bruxa” um filmaço! Me lembrou “O Homem de Palha” (o original dos anos 1970) e diria que se trata de um terror antropológico! E para além de toda a cosmologia, o que está em jogo é uma questão de gênero.

    • Essa sutileza é a marca dos grandes filmes. Hehe
      A Bruxa tem esse lado que extrapola o gênero mesmo. Acredito que o grande atrativo seja esse mesmo.
      Gratos por comentar, amigo!