Home > Programas > FormigaCast > A volta do FormigaCast com Mãe!

A volta do FormigaCast com Mãe!

Mãe! continua dando o que falar…

FormigaCast voltando após um longo hiato. Fizemos o anterior na ocasião do lançamento de Rogue One, demos um tempo e agora retomamos o podcast com regularidade quinzenal. O assunto não poderia ser outro senão o controverso, polêmico, amado e odiado Mãe! (Mother!), novo filme de Darren Aronofsky. A obra dividiu opiniões até entre nós (confira a crítica) e rendeu dois artigos bacanas, um sobre os símbolos religiosos e outro sobre a psicologia por trás da alegoria. Ah, só lembrando que já houve um programa sobre a filmografia do cineasta há cerca de dois anos.

Fechando essa série dedicada ao filme, nosso FormigaCast ressuscita com um bate-papo que coloca na mesa tudo que vimos e assimilamos em Mãe!. Ouve aí e não deixe de entrar em contato através do email podcast@formigaeletrica.com.br.

E aí? O que achou de Mãe! e deste episódio do FormigaCast?

Mais do que apropriado colocar um filme que tem essa aura de “ame ou odeie” no bate-papo do podcast, não? Pois é… Mãe!, apesar de um fracasso comercial nos EUA, tem sido bem procurado em nossas salas de cinema. Polêmica vende, de um jeito ou de outro. Porém, é sempre necessário avaliar, mesmo aqueles que o tenham odiado, o poder que uma obra que polariza tanto o público tem. Aí não reside um valor intrínseco que vale a pena refletir?

De qualquer forma, tenha você gostado ou não do filme, esperamos que tenha apreciado essa nossa conversa na retomada do FormigaCast. É sempre muito enriquecedor reunir opiniões contrárias, desde que sejam fundamentadas, sobre um mesmo assunto. Então é isso! Nos vemos no próximo episódio, na sexta-feira daqui a quinze dias, sempre por volta da hora do almoço.

Ouça, mostre aos amigos e não deixe de nos escrever no email indicado aí em cima. Valeu!

Já leu essas?
Crítica de Tempestade: Planeta em Fúria
Tempestade: Planeta em Fúria – O espectador também…
Crítica de Além da Morte
Além Da Morte – E também da qualidade, inteligência e do bom senso!
Crítica do filme Bom Comportamento
Bom Comportamento – Marginalidade pulsante e afetos desajustados!
space between
Curta The Space Between Us mostra futuro distópico de poluição!
  • Alessandra Chixa

    Eu contribuiria.

  • Mateus Almeida

    Não sei se viajei, mas só eu vi traços luciferianos na personagem da Jennifer Lawrence? Parando para analisar, ela era um ser muito próximo ao “Criador” que, após a criação da humanidade e mesmo com todas as falhas desta, tem a atenção que era voltada para si desviada, gerando maior rancor em relação aos homens. No fim, sua queda é representada por uma queda literal (na escada do porão) e a personagem acaba em um lago de chamas no momento em que faz jorrar o líquido inflamável e o acende, representando o inferno.
    Fui muito longe? Rs