Home > Livros > Análises > Os Melhores Livros de Ficção Científica de 2017! (Agora é pra valer!)

Os Melhores Livros de Ficção Científica de 2017! (Agora é pra valer!)

Com o fim do ano, podemos finalmente fechar a lista dos melhores livros de ficção científica desse ano

Pois bem, amigo leitor! Como prometemos na nossa lista dos melhores livros de sci-fi até a metade do ano, agora nós fechamos a lista com os melhores livros de ficção científica em todo o ano de 2017 em definitivo! Dessa forma, você vai poder aumentar ainda mais aquela pilha interminável de livros, e renovar sua promessa de ler todos até o fim de 2018 – promessa essa que nós sabemos que você renova todos os anos desde 1983.

Nosso critério para compor a lista foi bem simples: pesquisamos as publicações que observam correntemente os lançamentos de ficção científica e computamos a maior quantidade de entradas. Assim, a lista foi composta com base nas entradas de Financial TimesWashington Post, New York Times, Barnes & Noble, The Guardian, Goodreads Independent.

Como vocês poderão notar, metade deles já figurava na lista anterior; outros cinco são novidade, o que significa que alguns perderam seu posto. A curiosidade fica pelo fato de que Borne, de Jeff VanderMeer, foi o mais mencionado disparadamente – ou seja, se você tiver que optar por um deles, talvez esse seja a aposta mais certa.

Falando nisso, como fizemos na lista anterior, todos os títulos dos livros tem links diretos para você compra-los. Aí, só depende do quanto você quer gastar o seu suado décimo terceiro em alguns deles. A lista não está por ordem de qualidade, apenas pela quantidade de menções – ou seja, o seu favorito pode estar aí no meio.

Vamos aos melhores livros de ficção científica de 2017!

Raven Stratagem

de Yoon Ha Lee

Raven Stratagem chega com muito hype, mas isso também traz bagagem. Depois de Ninefox Gambit, o livro que o precede, conseguiria Lee poderia repetir seu sucesso? Felizmente, Raven Stratagem não só atende às expectativas estabelecidas por seu prelúdio, mas, de muitas maneiras, as supera, e é um livro mais equilibrado.

melhores livros de ficção

Ao contrário de seu antecessor, Raven Stratagem não requer nenhum tipo de aquecimento. Muito pouco da narrativa em Raven Stratagem é encharcada por incompreensíveis infodumps sobre “podridão calendárica”. Em comparação, parece mais aberto e arejado. Através de Cheris e Jedao, Lee provou sua capacidade de criar personagens complexos e interessantes, e desta vez ele abre as portas ao introduzir vários novos personagens e seus pontos de vista – todos envolvidos à sua própria maneira.

Do afobado Brezan, que está em uma missão para derrubar Jedao, ao general Kel Khiruev, que está relutantemente em dívida ao general mortos-vivo, depois que ele comanda seu enxame, até Shuos Mikodez, líder de uma facção de assassinos, cada um dos principais jogadores tem seu próprio papel bem definido e convincente para executar na narrativa geral de Raven Stratagem.

Eles são todos sequelados e perigosos, cheios de arrependimentos, mas também são vulneráveis ​​e agradáveis, ​​de forma que os leitores possam se conectar com eles no nível emocional certo.

Parece confuso? Bem, é o problema de ser a segunda parte. Mas vale a pena acompanhar do começo essa excitante história.

Artemis

de Andy Weir

Andy Weir retorna à viagem espacial realista em futuro próximo com Artemis – desta vez na Lua. Enquanto Perdido em Marte se concentrou principalmente em uma história de sobrevivência, definida no contexto de uma missão focada na Apollo, Artemis oferece um vislumbre das maiores conexões tecnológicas, políticas e culturais que ligariam diferentes países da Terra em uma próspera cidade na Lua.

melhores livros de ficção

O conhecimento de Weir sobre física, química e tecnologia espacial acrescenta credibilidade à sua construção mundial, e sua escolha para estabelecer isso em algum lugar no final do século XXI garante que sua tecnologia especulativa tenha análises do mundo real para os leitores entenderem. Além disso, sua mistura de gêneros com elementos de westerns e noir, adicionados às armadilhas de ficção científica, oferece um bom toque temático.

Artemis segue Jazz Bashara, um contrabandista que vive na cidade titular, que procura ganhar dinheiro suficiente para compensar um erro que cometeu no passado. Bashara consegue um emprego que não vai bem, levando-a a descobrir exatamente como Artemis funciona como uma sociedade, e quem está puxando as cordas. A história é um suspense quando precisa ser, mas também divertida, de forma que o leitor possa se conectar melhor com a protagonista de Weir.

Embora Perdido em Marte tenha apresentado um elenco de apoio bastante diverso, Artemis inclui personagens da Arábia Saudita, do Brasil, do Quênia, da Noruega, do Canadá, de Hong Kong e de outros países, refletindo a extensão lógica da cooperação internacional atual nas tecnologias espaciais, e possivelmente demonstrando uma crença de que a estabilidade internacional é necessária para ganhos significativos em vôos espaciais.

Weir também inclui algumas referências de cultura pop agradáveis, o melhor dos quais é um pub chamado Hartnell administrado por um inglês chamado Billy – uma clara referência a William Hartnell, o primeiro Doctor de Doctor Who.

All Systems Red

de Martha Wells

Em um futuro dominado por grandes corporações, qualquer nova equipe de exploração planetária precisa ser acompanhado de um andróide SecUnit. Ostensivamente, isso é para mante-los seguros, mas também a ajuda o monitor da Companhia a verificar o que essas equipes estão armando. A história é contada do ponto de vista de um Murderbot – a unidade de segurança designada para manter os cientistas seguros durante a exploração de planetas distantes.

melhores livros de ficção

A história é bem interessante. A equipe era uma de duas diferentes expedições no planeta, e teve que superar uma série de falhas de equipamentos – nada incomum para um futuro onde as missões são vendidas pelo menor lance, e cortar custos é a palavra de ordem. Os defeitos começam a ganhar ares sinistros quando a equipe perde contato com a outra equipe expedicionária. O Murderbot passa a ser responsável pela sobrevivência dos humanos.

A surpresa é justamente o fato de que Murderbot é um grande protagonista, por quem nós queremos torcer. Sua missão é manter os humanos a salvo, mas isso não significa que esse andróide socialmente inapto tenha que gostar deles ou queira passar a menor quantidade de tempo mais do que o necessário com eles.

Provenance

de Ann Leckie

Existe um subgênero de mistérios de assassinato conhecidos como cozy (“confortáveis). Esses mistérios confortáveis usam todos os tropos e convenções que existem na caixa de ferramentas de um bom thriller – mortes chocantes, detetives brilhantes, manchas vermelhas – mas com um arranjo que é particularmente diferente: os detalhes vívidos são descritos com um distanciamento, o detetive não é tão durão (às vezes, nem policial é), e há tanto foco na colorida multidão que envolve o investigador quanto na galeria de suspeitos.

melhores livros de ficção

Provenance é o primeiro livro independente de Leckie – ou seja, você não precisa de nenhum feedback anterior da autora para curtir o livro. É um história sobre eventos de importância planetária – melhor, galáctica, como sucessão de governo, um conclave inter-espécies, um sistema solar à beira da guerra – mas de um ponto de vista pequeno, visto através dos olhos de uma jovem mulher um pouco cheia de si.

Existem grandes ideias sobre política, gêneros e direitos de prisioneiros. Existem plot twists surpreendentes e tensas sequências de ação. O elenco de personagens coadjuvantes é muito interessante e polivalente – ah, e também tem um assassinato. E muitas cenas de pessoas comendo, planejando comer, ou acabando de comer.

Você poderia chamar de uma space opera “confortável”, mas isso seria reducionista. Este livro mostra todas as armadilhas da ficção científica em tela panorâmica e a atenção ao personagem; aos pequenos momentos, às vidas internas daqueles que vivem em eventos de grande porte, que você normalmente encontra em outra parte da livraria.

The Rise and Fall of D.O.D.O.

de Neal Stephenson e Nicole Galland

Nesse livro de realidade alternativa, a linguista Melisande Stokes conhece um belo oficial de inteligência militar chamado Tristan Lyons, que oferece a ela a chance de escapar de um presunçoso orientador em Harvard para participar de um projeto de pesquisa sobre magia. Rapidamente, as apostas sobem conforme Melisande e seus amigos tropeçam e políticas conflitantes, ambições individuais e agendas.

melhores livros de ficção

A parte mais interessante é que se trata de um romance epistolar, em que toda a narrativa é composta por correspondências através de cartas, registros de conversos e documentos governamentais. O formato pouco comum permite aos autores criar vozes distintas para os seus cativantes personagens, explorar relacionamentos e descrever a “ciência” da magia e das viagens no tempo.

Tem bastante coisa acontecendo aqui – floreios estilísticos, sacadas cômicas, romance e ciência; mas que são tratados com habilidade. Quem já conhece o trabalho de Stephenson vai reconhecer suas ideias habituais e seu humor, enquanto Galland traz uma voz renovadora e irresistível para o livro.

THE STARS ARE LEGION

de Kameron Hurley

Space operas são um lugar tão comum no mundo da ficção científica, que eles podem parecer saturados, sem mais ideias para oferecer. Mas The Stars Are Legion é como uma magnífica tempestade atravessando o gênero no meio. Seu estilo e ritmo são remanescentes da velha guarda de histórias sci-fi, mas seus personagens são pessoas com as quais você vai genuinamente se importar. Com um grande porém – todas as pessoas são mulheres!

melhores livros de ficção

A história começa essencialmente como um Mad Max: Estrada da Fúria, no espaço. Nós somos apresentados inicialmente a Zan, que acorda em um departamento médico, sem se lembrar muito de sua vida. “Eu me lembro de arremessar uma criança. Essa é a única memória que eu tenho certeza de ser minha. O resto é uma lúgubre escuridão”, ela diz no início do livro.

Zan então conhece Jayd, que alega ser sua irmã. Conforme a história progride, nós entendemos o que Legion realmente é, e porque as pessoas querem escapar dela. Tudo através páginas altamente imersivas e cheias de ação.

NEW YORK 2140

de Kim Stanley Robinson

O medo de viver em um lugar que um dia pode estar coberto de água é muito real para os habitantes de Nova York, assim como de muitos outros habitantes costeiros ao redor do mundo. Embora nós ainda tenhamos algum tempo antes que o nível da água afete habitações e negócios, é difícil não imaginar um futuro assim para a mais popular populosa cidade dos EUA.

melhores livros de ficção

Em New York 2140, os níveis dos mares aumentaram em 15 metros, e a baixa Manhattan foi completamente tomada pela água, e o edifício da MetLife – hoje, um dos mais luxuosos da cidade – serve como abrigo para os protagonistas da história. É um conto distópico, que realmente não parece nada distópico, pois a sua trama está intimamente ligada aos eventos atuais do mundo.

Nós sabemos que o planeta está esquentando, e que os níveis dos oceanos e mares vão mudar dramaticamente a dinâmica das grandes cidades do mundo no futuro. Ver como esses personagens sobrevivem neste futuro é satisfatório. De algumas formas, o romance é até esperançoso, porque mostra como a humanidade irá se adaptar contra a terrível ameaça da mudança climática.

Esse livro é fascinante para qualquer um que tenha interesse no tema do aquecimento global – e também no trabalho de Robinson. Afinal, ele consegue construir uma distopia na qual nós ainda toleraríamos viver.

THE MOON AND THE OTHER

de John Kessel

Se você algum dia já se perguntou que tipo de sociedade os humanos construiriam se habitassem outro mundo, The Moon and the Other oferece algumas ideias. No século XXII, 3,2 milhões de pessoas vivem na Lua da Terra, em 27 diferentes colônias subterrâneas. As colônias são escavadas diretamente na rocha, ou localizadas dentro de crateras vulcânicas e meteóricas, sob domos.

melhores livros de ficção

A Society of Cousins é uma sociedade matriarcal onde homens não podem votar e onde eles não podem deter nenhum tipo de poder. Com exceção disso, são livres para fazerem o que quiserem. Mas Persepolis, uma espécie de versão modernizada da Pérsia, é uma sociedade que lembra a nossa de maneira mais aproximada.

A história acompanha quarto personagens que vivem nessas diferentes sociedades, e em como se debatem para encontrar suas próprias identidades. A trama prepara os leitores para um livro realmente sério sobre políticas de gênero no futuro – mas ainda consegue ser leve o bastante para em quem se foca. O livro também serve como alerta para a criação de um mundo utópico. Humanos, conforme ele sugere, inevitalmente ficariam no caminho da criação de uma sociedade melhor.

Com cerca de 600 páginas, The Moon and the Other é um dos livros mais longos dessa lista, mas os personagens polidimensionais e as intricadas sociedades lunares fazem-no parecer muito mais curto.

SIX WAKES

de Mur Lafferty

Six Wakes começa com uma lista de leis relacionadas a clonagem. Número um: É ilegal criar mais do que um clone de uma mesma pessoa por vez. Número sete: É ilegal para um clone encerrar sua vida atual para poder renascer. Como você pode não querer saber que tipo de mundo é esse?

melhores livros de ficção

Lafferty coloca os leitores direto na ação: uma mulher em uma espaçonave desperta, apenas para descobrir que foi clonada. Mas ela não sabe como ela morreu originalmente, acionando o renascimento. Seus companheiros de tripulação também foram clonados.

O mistério central da história é, claro, quem os matou, mas Lafferty mantém nosso total interesse ao nos mostrar quem esses personagens eram antes de morrer – o que também oferece peças para descobrir a identidade do assassino. É um mistério de assassinato localizado no ano 2493, que é tão interessante e emocionante quanto parece.

BORNE

de Jeff VanderMeer

Fechando a lista com a maior quantidade de votos, temos Borne.

Explorar o mundo de Borne é como navegar por um game de mundo aberto. Você não sabe imediatamente o que aconteceu com a cidade em que os personagens residem, ou quais são as regras locais, mas a protagonista, Rachel, lentamente nos leva através da cidade destruída, com perigos em todo canto. Ela primeiro descobre que a criatura do título é um urso gigante criado por engenharia chamado Mord. Mord foi criado pela Company, uma empresa de biotecnologia que perdeu controle sobre suas criações.

melhores livros de ficção

Existem muitos outros aspectos bastante criativos e assustadores desse mundo, incluindo besouros que podem remover e adicionar memórias quando colocados na orelha de alguém, e vermes que lançam drogas dentro do seu corpo. VanderMeer também é autor da popular Trilogia Southern Reach. Se você já chegou a ler alguma coisa dessa série, provavelmente vai gostar desse novo romance.

Borne mostra que VanderMeer é um dos melhores escritores de ficção científica da atualidade. Seu trabalho é acessível, divertido, e cheio de personagens interessantes – humanos e não-humanos. Não somente isso, mas tanto sua Trilogia quanto Borne possuem protagonistas femininas – e isso tem sido necessário nesses dias.

 

Já leu essas?
Transmídia
Transmídia na pauta do FormigaCast!
o sol é para todos
O Sol é Para Todos – Quando um clássico gera outro clássico!
dust
Dust é site que produz dezenas de curtas e conteúdo sci-fi!
jrr tolkien
JRR Tolkien – Por que seus idiomas prosperaram mais que o Esperanto?