Home > Livros > Análises > Elric de Melniboné : A Traição ao Imperador – Livro Um

Elric de Melniboné : A Traição ao Imperador – Livro Um

Elric de Melniboné nas prateleiras do Brasil

Um vácuo editorial brasileiro foi preenchido no semestre passado, pelo menos para os fãs da literatura de fantasia. A criação mais famosa de Michael Moorcock chegou às livrarias brasileiras sem muito barulho, mas ganhou uma edição à altura da sua importância e influência no segmento. Elric de Melniboné : A Traição Ao Imperador -Livro Um, nos apresenta Elric, imperador do reino mágico de Melniboné – também chamado de Ilha do Dragão – uma potência ancestral em declínio, cujo povo, mais dado à amoralidade do que sensibilidade, em seu momento atual enfrenta invasões bárbaras dos Reinos Jovens, habitados por humanos. Embora pouco ameaçadoras, essas incursões reforçam o sentimento de que o tempo de glória dos melniboneanos já passou e que seu fim já está previsto.

Elric de Melniboné Livro 1

Elric de Melniboné Livro 1 – Ilustração de Ricardo Troula

Neste cenário, Elric é um personagem que subverte as convenções das aventuras do estilo Espada e Magia, como o Conan de Robert E. Howard, por exemplo. Albino e fraco, o relutante imperador, sempre questionando se está à altura do Trono Rubi, é muito mais um feiticeiro do que um guerreiro forte e viril. É apenas graças a drogas poderosas que consegue manter-se em atividade física, algo que, além do seu albinismo e sua inclinação à cultura e ponderação, é sempre lembrado por Yyrkoon, seu primo, como prova de sua incapacidade como imperador.

Uma jornada dolorosa

Moorcock ainda criou mais tormentos para seu protagonista, trabalhando com conceitos de caos, ordem e predestinação, o que coloca no caminho de Elric a espada rúnica Stormbringer, uma entidade consciente a serviço do caos, que absorve a alma dos que são mortos por ela. A aventura que apresenta esse universo lisérgico mostra o imperador com seu trono ameaçado pelo primo, que cobiça a posição, enquanto precisa lidar com mais uma tentativa de invasão dos Reinos Jovens e proteger seu amor correspondido, Cymoril, irmã de Yyrkoon.

Elric de Melniboné por Michael Whelan

Uma das várias interpretações visuais de Elric, por Michael Whelan!

Em pouco menos de 200 páginas, a narrativa desenvolve todos esses elementos de uma forma rápida, e em alguns momentos o leitor talvez considere algumas resoluções insuficientes e apressadas. É certo que ao pensarmos em épicos fantásticos, logo imaginamos livros bem mais encorpados do que esse, que se detém em descrições minuciosas dos universos onde se ambientam, mas o autor certamente evitou isso, mantendo-se mais próximo à tradição dos pulps, porém sem nunca abrir mão da complexidade e sofisticação que se espera de um autor inglês.

Falando em complexidade, além da profundidade emocional e psicológica conferida a Elric, percebida já no primeiro volume, o conceito de multiverso concebido por Michael Moorcock, juntamente com a intrigante ideia de um Campeão Eterno, atravessa toda sua obra no campo da fantasia e ficção científica, traçando uma ligação entre figuras tão diferentes e improváveis quanto Elric de Melniboné e o agente secreto Jerry Cornelius, outro personagem seu ainda inédito no Brasil.

Elric de Melniboné Livro 1

A edição brasileira rara!

O espadachim albino surgiu em junho de 1961, no conto The Dreaming City, publicado na revista Science Fantasy  #47. Curiosamente, o autor não concebeu essa e as histórias seguintes na ordem cronológica do personagem. Tanto que, ainda na década de 1960, outra série de contos, depois reorganizados para dar origem ao livro Stormbringer, já mostra o fim da saga do personagem. A editora Francisco Alves o publicou por aqui por volta de 10 anos depois, com o título A Espada Diabólica, e essa edição permaneceu até o ano passado como a única aparição literária de Elric em nossas prateleiras*, provavelmente deixando os leitores brasileiros confusos, já que desconheciam o fato de que a cronologia do personagem era diferente da sua sequencia de publicação. O início da saga só foi lançado em 1972, que é o nosso volume em questão.

*Apareceu também em quadrinhos, mas isso fica para outra postagem!

A Generale, selo da Editora Évora, segue a cronologia correta do personagem, hoje organizada em nove livros, três deles com material escrito durante a década de 1980. Elric de Melniboné: A Traição Ao Imperador – Livro Um é uma edição com acabamento gráfico bacana, tradução razoável, fazendo valer cada centavo pago, e o mais importante é que faz o favor de apresentar Michael Moorcock para um mercado cada vez mais ávido por esse tipo de material. A Generale prevê o próximo livro ainda para este semestre, mostrando que o personagem já tem seu lugar por aqui.

Novatos e iniciados agradecem!

Confira também a resenha do Livro Dois!

Já leu essas?
Resenha de Elric O Trono de Rubi
Elric: O Trono de Rubi – Um toque francês!
música clássica
Música clássica e desenhos animados – Uma história de humor!
Resenha Elric de Melniboné
Elric de Melniboné no Formiga na Tela!
the witcher
A fantasia de Andrzej Sapkowski – The Witcher, espadas e magia!
  • Celso Moraes F

    Sobre a edição rara nacional, eis aqui um feliz proprietário! E nessa mesma coleção tem mais uns clássicos, como “As sete faces do Dr. Lao”, que também virou filme e já vi muito na Sessão da Tarde!

    • Hehe Por volta de 2001, os encalhes de editoras no centro de São Paulo vendiam baratíssimo. Comprei uns três exemplares na época.