Home > Cinema > Darren Aronofsky fala sobre WOLVERINE e SUPERMAN

Darren Aronofsky fala sobre WOLVERINE e SUPERMAN

Mesmo com toda a preocupação a respeito do sucesso comercial de Noé, o filme saiu-se bem na bilheteria dos EUA e marca alguns pontos para Darren Aronofsky. Também nos faz lembrar que seu nome esteve ligado a outros blockbusters recentes, que ele acabou não dirigindo. The Wolverine – depois batizado como Wolverine: Imortal – e O Homem de Aço quase foram comandados por ele, e ficou a dúvida se ele seria capaz de manter as características que o fizeram famoso, e ao mesmo tempo agradar o público-pipoca.

Passado o tempo das especulações sobre seu afastamento destas produções, Aronofsky falou um pouco sobre isso. Sobre The Wolverine, houve um acontecimento pessoal que o impediu de assumir o filme. Seu divórcio com a atriz Rachel Weisz.

O cineasta falou ao podcast da MTV, Happy Sad Confused:

“Eu amei o roteiro e achei que o filme foi ótimo (referindo-se ao trabalho de seu substituto, James Mangold). Eu só tive… foi um período difícil em minha vida. Foi complicado. Eu não pude sair de Nova York por um bom tempo. E para ser honesto, a possibilidade de Noé começou a surgir, e era algo em que eu estava pensando havia anos. Eu estava realmente excitado com aquilo.”

Sobre O Homem de Aço, Aronofsky diz:

“Superman é um santo Graal. É Superman. É o melhor super-herói. Batman é ótimo, claro, mas é Superman. Ele está no mesmo nível. Essa possibilidade era ótima. Eu acho que Zack foi uma grande escolha, e eu amei Watchmen. Eu achei ótimo. Como um fã dos quadrinhos, eu não poderia esperar uma interpretação melhor. Eu gostei de como ele foi ortodoxo.”

“Foi interessante o pathos* que eles adicionaram ao personagem (em Homem de Aço). É algo difícil de fazer. Você olha o que Christopher Reeve fez, e foi perfeito, pois capturou aquilo de ‘garotão bonzinho’. Mas tentar refaze-lo novamente, trazendo-o para um público moderno, é difícil num mundo pós Batman e Wolverine. É difícil de fazer.”

*( Pathos é uma palavra grega que significa paixão, passagem, excesso, catástrofe  e sofrimento. É o apelo emocional que a experiência, representada nas artes, tem em seu público.)

Ainda existe algum filme de super-herói para Darren Aronofsky? Provavelmente sim, ainda mais com a DC tentando se acertar na tela grande. Ele pareceu bastante diplomático nas declarações, evitando qualquer polêmica, o que pode indicar que ele ainda tem interesse nesse tipo de filme.

Já leu essas?
FormigaCast Aronofsky Mãe!
A volta do FormigaCast com Mãe!
significado mãe
Mãe! – Uma leitura psicológica da alegoria de Aronofsky!
mãe
Mãe! – As poderosas alegorias míticas e religiosas do filme!
Mãe Filme
Mãe! – A megalomania de Darren Aronofsky!