Home > Cinema > Monsieur & Madame Adelman – Cinema a quatro mãos!

Monsieur & Madame Adelman – Cinema a quatro mãos!

As fases da vida a dois em Monsieur & Madame Adelman

Monsieur & Madame Adelman (Monsieur et Madame Adelman) é um filme de amor, mas ele não entrega isso de mão beijada ao espectador. Nicolas Bedos é um cineasta estreante que vem de uma família presente no meio artístico (Pai comediante, irmã roteirista), mas já com alguma experiência anterior como roteirista. E ele começa dizendo muito bem a que veio. Junto com a maravilhosa Doria Tillier, eles encarnam Victor e Sarah Adelman, o casal que dá nome à obra, mas não é só isso que eles fazem juntos. O roteiro foi feito a quatro mãos entre os dois. Bedo, além de direção e roteiro ainda compôs musicas para o filme. Pensando em tudo o que jovem diretor fez, você pode agora estar perguntando-se se ele foi capaz de abraçar tudo isso. A resposta é SIM.

Crítica de Monsieur e Madame Adelman

Monsieur e Madame Adelman

O filme fala sobre a vida conjunta de um casal que convive por 45 anos. Ele, um escritor perdido na vida, ela uma brilhante mestra em letras judia, um tanto quanto dedicada demais. Nesse período, eles vão viver altos e baixos no relacionamento e na carreira literária de Victor, tudo contado pela visão de uma rancorosa viúva que viveu à sombra do marido. O filme usa uma estrutura que lembra a de Cidadão Kane, em que a narrativa já se inicia com Victor morto, sendo apresentado pelos relatos sobre ele. Exatamente por isso, não temos certeza do quanto daquele homem é real e quanto está distorcido pela ótica da interlocutora.

Ao longo dos 45 anos que o filme cobre, somos apresentados a personagens envolventes, complexos, que aprendem, se renovam, erram e tentam de novo. Sem cair em clichês, o romance entre eles floresce de maneira atribulada e eles trocam de papéis constantemente, mas sempre de maneira bem construída e relevante.

Crítica de Monsieur e Madame Adelman

Afiado nos quesitos técnicos

O roteiro é excelente, com diálogos precisos, mas o filme não se resume a isso. Os quesitos técnicos são aulas de cinema. Fotografia belíssima, com funções narrativas bem claras e sem formalismo desnecessário, direção clássica e extremamente bem executada, uma belíssima trilha sonora que dá o clima e está sempre conectada ao momento do filme, uma montagem invisível no ponto certo e uma maquiagem incrível. O que mais poderíamos pedir? Talvez um filme um pouco mais curto… os 110 minutos do filme acabam fazendo com que o segundo ato caia um pouco em relação aos dois outros.

Ainda assim, é um filme muito bom e ousado, que reserva um final surpreendente. Não há dúvidas que Nicolas Bedos e Doria Tilier estão longe de ser acomodados. Poderiam optar por algo tradicional, poético e melodramático mas preferiram usurpar a perspectiva construída durante todo o filme. Palmas.

Eu uso uma lógica simples para fazer uma crítica de cinema: quanto melhor o filme, menos precisa ser dito sobre ele. A crítica sobre Monsieur & Madame Adelman poderia ter duas palavras: puro cinema.

Já leu essas?
Estreias nos Cinemas – 17/08
Crítica de Lady Macbeth
Lady Macbeth – William Shakespeare ficaria orgulhoso!
Crítica de Afterimage, de Andrzej Wajda.
Afterimage – O canto do cisne de Andrzej Wajda!
Crítica de Annabelle 2
Annabelle 2: A Criação Do Mal – A origem da boneca maldita!