Home > Cinema > Artigos > Mãe! – A coletiva de imprensa de Darren Aronofsky!

Mãe! – A coletiva de imprensa de Darren Aronofsky!

Darren Aronofsky esteve no Brasil para divulgar o seu novo filme

Chegando hoje aos cinemas nacionais (21/09), Mãe! é um dos longas mais polêmicos do ano. Depois de ser vaiado por uma parte do público no Festival de Veneza, o filme estreou nos EUA e, além de dividir a opinião dos críticos, foi um fracasso de público. Viajando o mundo para divulgá-lo, o diretor Darren Aronofsky (que já foi tema de um FormigaCast) passou pela Brasil na última terça-feira (19/09) e, em uma sala repleta de críticos, jornalistas e fotógrafos, falou sobre os bastidores e o conteúdo da produção.

Coletiva de imprensa com Darren Aronofsky

Embora tenha iniciado de maneira rasa, a coletiva de imprensa logo esquentou e boas perguntas começaram a surgir. Uma das mais interessantes foi sobre a autoralidade presente nos seus filmes. Afirmando sempre colocar uma parte de si mesmo nas histórias que escreve, ele completou dizendo: “Existe sempre um pedaço de mim nas minhas obras. Eu sou a bailarina de Cisne Negro, o Randy de O Lutador, o Conquistador de A Fonte de Vida, o matemático feiticeiro de Pi. (…) Em Mãe!, os meus sentimentos estão na protagonista, mas também há muitas características minhas no personagem do Javier Bardem”.

Uma outra pergunta relevante teve a ver com  a recepção do público ao filme e se o diretor se importava em agradar muitas pessoas. Ele deu a seguinte resposta: “O objetivo é sempre que o público ame a obra. Porém, nós sabíamos que Mãe! seria um filme muito agressivo, e a realidade é que, quando você desfere um soco, algumas pessoas gostam, outras desejam contra-atacar. Eu estava ciente de que seria algo divisivo”.

Essa pergunta foi acompanhada por um questionamento sobre como o diretor lida com as imposições dos estúdios hollywoodianos. No caso específico do novo longa, ele afirmou que o orçamento da produção foi baixíssimo para os padrões da Paramount Pictures e que teve liberdade total para trabalhar, ao contrário do que aconteceu em Noé, no qual a quantia disponibilizada para a realização do longa foi muita maior e executivos interferiram em suas escolhas. Curiosamente, para a surpresa de todos, ele disse que, em Mãe!“, foram usados mais efeitos digitais que na obra protagonizada por Russell Crowe.

Coletiva de imprensa com Darren Aronofsky

O filme de Darren Aronofsky já provoca o público com seus pôsteres!

E já que estamos falando de um filme bíblico, o cineasta confirmou a interpretação de que a história de um casal sendo visitado por estranhos é uma grande alegoria de Deus, a Mãe Natureza, Éden, Adão e Eva e outras histórias da Bíblia. Além disso, reafirmou que há uma mensagem ecológica muito forte na história. Para o cineasta – que estava vestindo uma camiseta em defesa da Floresta Amazônica -, a personagem de Jennifer Lawrence é como a natureza que fornece tudo o que precisamos e nós, os visitantes desrespeitosos e ingratos. Porém, revelou ser um otimista e afirmou não acreditar que estamos nas páginas finais do grande livro do mundo.

Invariavelmente, isso acabou levando a alguns comentários políticos. Apesar de ter escrito o roteiro no último ano de Obama na Casa Branca e afirmado não existir na trama uma crítica ao governo de Donald Trump, disse que a presidência do republicano serviu para expor o “câncer” que existe nos Estados Unidos. No que consiste esse “câncer” ele não chegou a descrever. Finalizando o assunto, quando perguntando se existia alguma crítica política compartilhada por Mãe! e filmes com enredos similares, como Corra! e O Estranho Que Nós Amamos, falou que, apesar de não ter visto os títulos mencionados, é improvável que exista essa relação, uma vez que todos foram realizados antes de Trump ser eleito.

Aronofsky sabe rir!

No entanto, nem tudo foi denso na coletiva. Se mostrando à vontade na presença de várias pessoas, ele foi simpático na hora de responder as perguntas, riu bastante e, ao ser interpelado sobre a natureza do líquido amarelo consumido por Jennifer Lawrence (quem assistiu ao filme sabe do que estou falando), respondeu dizendo que comentaria sobre qualquer assunto ou aspecto do longa, menos isso. Segundo ele, esse mistério “será levado ao túmulo”. Espirituosa, a resposta levou o público presente às gargalhadas.

Já leu essas?
Filme Blade Runner 2049
Blade Runner 2049 na conversa do FormigaCast!
cinema trash
Jesus Franco – Sexo e violência na obra do mestre do cinema trash!
FormigaCast Aronofsky Mãe!
A volta do FormigaCast com Mãe!
significado mãe
Mãe! – Uma leitura psicológica da alegoria de Aronofsky!