Home > Cinema > Artigos > O Homem-Aranha No Cinema – Ranking de todos os filmes!

O Homem-Aranha No Cinema – Ranking de todos os filmes!

As melhores e piores aventuras do Homem-Aranha

A trajetória do Homem-Aranha no Cinema ainda é muito recente. Se pensarmos em outros super-heróis tão famosos quanto ele, como Super-Homem e Batman, fica claro que a sua carreira cinematográfica está apenas começando. No entanto, curiosamente, mesmo ocupando somente quinze anos na longa história da Sétima Arte, o personagem já protagonizou seis filmes (sem contar a sua participação no longa Capitão América: Guerra Civil), foi interpretado por três atores diferentes e contou também com três versões distintas. Por ocasião da estreia da mais nova delas, Homem-Aranha: De Volta Ao Larlistamos cada um dos filmes de acordo com a sua qualidade. Será que o nosso ranking é igual aos de vocês, caros leitores? Vamos descobrir!

Ranking filmes homem aranha

Confira o nosso ranking!

06 – O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro (The Amazing Spider-Man 2, 2014)

Sem sombra de dúvida, O Espetacular Homem-Aranha 2: A Ameaça de Electro é o pior filme protagonizado pelo Cabeça de Teia. As cenas de ação abusam dos efeitos digitais, a trama é um amontoado de acontecimentos sem nenhuma lógica interna, as motivações dos personagens são inexistentes e, para coroar esse considerável montante de lixo, o vilão principal é muito ruim (não no sentido de maldade, mas, sim, de qualidade). É sabido que a mão do estúdio pesou no corte final (alguns personagens icônicos ficaram de fora), porém, isso não é suficiente para justificar a obtenção de um resultado tão mal-sucedido.

 

05 – O Espetacular Homem-Aranha (The Amazing Spider-Man, 2012)

Muito já se ouviu falar sobre como Tobey Maguire era velho demais para interpretar Peter Parker e que Sam Raimi eliminara indevidamente o caráter adolescente das histórias do personagem. Entre vários outros motivos, O Espetacular Homem-Aranha foi feito justamente para corrigir esses “erros”. Assistindo ao filme, de fato, percebe-se que essas coisas foram parcialmente corrigidas (embora Andrew Garfield também não convença muito como adolescente). Porém, infelizmente, os realizadores esqueceram de todo o resto, já que a trama, o vilão, as cenas de ação e os efeitos digitais são precários. No fim, foi a velha história do cobertor curto.

 

04 – Homem-Aranha 3 (Spider-Man 3, 2007)

A experiência de fazer Homem-Aranha 3 foi tão traumática que Sam Raimi não quis mais saber do personagem. Apesar de ter transformado o segundo longa da trilogia num imenso sucesso de público e crítica, ele foi constantemente confrontado por executivos interferindo nas suas decisões criativas. O saldo final acabou sendo um filme sem personalidade (algo raro na carreira do diretor), um amontoado de vilões (ao todo, são três!) e mudanças drásticas no roteiro (a história do assassinato do Tio Ben foi equivocadamente reescrita e há uma sub-trama patética envolvendo o lado negro de Peter). Uma mancha na carreira de todos os envolvidos.

 

03 – Homem-Aranha: De Volta Ao Lar (Spider-Man: Homecoming, 2017)

De certa maneira, Homem-Aranha: De Volta Ao Lar é tudo o que O Espetacular Homem-Aranha queria ser: um filme adolescente com pitadas de super-heroísmo. Com uma atmosfera oitentista irresistível, um roteiro repleto de ótimas piadas, um ator principal extremamente carismático e ideias criativas (o vídeo caseiro feito por Peter é a principal delas), o longa, diferentemente do filme de 2012, recupera a personalidade juvenil do personagem ao mesmo tempo que entrega todo o resto com competência. Só não está numa melhor posição no nosso ranking porque, apesar de correta, a direção de Jon Watts é desprovida de personalidade estética e narrativa.

 

02 – Homem-Aranha (Spider-Man, 2002)

Se nos dias de hoje, os filmes de super-heróis são uma realidade lucrativa e, ao que tudo indica, interminável, muito se deve a Homem-Aranha, o filme de Sam Raimi lançado em 2002. Uma das pioneiras do gênero, a obra ditou regras, lançou tendências e estabeleceu um padrão de como as histórias de origem deveriam ser contadas. O longa não é perfeito (aliás, está longe disso), no entanto, a sua importância histórica é inegável. Muitos afirmam que o personagem foi descaracterizado, mas isso é uma falácia. Sam Raimi quis propor algo levemente diferente dos quadrinhos e o fez com muito talento.

 

01 – Homem-Aranha 2 (Spider-Man 2, 2004)

Chegamos ao topo do Evereste! Homem-Aranha 2 não só é o melhor filme do teioso, como também é um dos melhores filmes de super-herói de todos os tempos. Nenhum dos longas pertencentes a esse gênero tiveram a sorte de contar com um vilão trágico que recita T.S. Eliot e um diretor oriundo do Cinema de horror no auge da sua forma, tanto estética quanto narrativamente (para verificar a veracidade desta última afirmação, basta ver a maneira com que Raimi driblou a censura – estou falando, é claro, da cena do hospital). Além disso, o roteiro aprofunda a psicologia dos personagens e os desenvolve com uma profundidade rara de ser vista em filmes dessa natureza. Até hoje, é uma aula de como se contar histórias de super-heróis no Cinema.

 

Gostaram do ranking ou teriam colocado os filmes numa ordem diferente? Comentem!

Já leu essas?
Crítica de Pequena Grande Vida
Pequena Grande Vida – A sustentável leveza do ser!
Crítica de Trama Fantasma.
Trama Fantasma – O melhor e o pior de Paul Thomas Anderson!
Crítica de Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississipi
Mudbound: Lágrimas Sobre o Mississipi – A segregação no pós-Guerra!
Crítica de Lady Bird: Hora de Voar
Lady Bird: A Hora De Voar – Celebração do medíocre!