Home > Cinema > THE ROVER – A CAÇADA – Quase nada mais importa… (Estreia em 07/08/2014)

THE ROVER – A CAÇADA – Quase nada mais importa… (Estreia em 07/08/2014)

ithwF9xJQX2aL

É normal o público cinéfilo frustrar-se com a ausência de determinados lançamentos em nossas salas. Muitas vezes, o fã mais afoito caça as novidades, descobre um determinado filme interessante pronto para estrear e aguarda. Em alguns casos, o filme é até exibido em algum festival ou mostra, porém, se o evento não acontece em sua cidade ou Estado, sobra somente a esperança da estreia em circuito comercial, já contando que ficará pouco tempo em cartaz. A brochada suprema acontece quando a obra acaba direto em DVD e Blu-Ray. Foi o que aconteceu com o ótimo Reino Animal, do australiano David Michôd, concluído em 2010 e lançado nos cinemas mundo afora no ano seguinte, menos no Brasil. Uma pena, mas é uma situação bem comum por aqui.

Há cerca de três meses, publicamos o trailer e falamos rapidamente do novo filme de David Michôd, The Rover (veja AQUI). Premissa e imagens interessantes, mas naquele momento, pouca esperança de que fosse exibido nos cinemas brasileiros, pois o visual deixava claro ser algo com ainda menos apelo comercial que seu filme anterior. Foi uma bela surpresa descobrir que o filme terá sua estreia por aqui, na tela grande, exatamente onde ele deve ser apreciado.

_ROW1285.nef

O roteiro de The Rover – A Caçada foi escrito pelo próprio diretor, a partir de uma história proposta pelo ator Joel Edgerton, também australiano, que atuou em Reino Animal e vem aparecendo cada vez mais em Hollywood em filmes como A Hora Mais Escura e O Grande Gatsby. Sem muita cerimônia, o filme começa situando o espectador no deserto australiano, dez anos depois de um evento referido como “o colapso”, e é muito evidente a situação desgraçada e miserável que as pessoas ali vivem. Um solitário misterioso, vivido por Guy Pearce, tem seu carro roubado por três pessoas depois de parar em um posto na beira da estrada. A situação do trio, que já estava em fuga antes deste roubo, e a conversa entre eles, deixa claro que o irmão de um deles foi deixado para trás em algum lugar, ferido e presumivelmente morto àquela altura. O fator dissonante que carrega a narrativa do filme é a obsessão inexplicável do solitário em recuperar seu carro, custe o que custar, carregando na viagem o tal irmão abandonado, interpretado por Robert Pattinson, da franquia Crepúsculo, que parece ter deixado de vez os papéis fáceis de galã adolescente.

_ROV7508.nef

Além da premissa e ambientação que evocam o western, recheado de cenas externas e planos gerais, o filme foi maravilhosamente fotografado em película, no formato Super 35mm, seguindo na contramão das tendências de hoje, o que valoriza muito a profundidade  da imagem e o tom amarelo seco que enfatiza o calor desértico. Um trabalho fantástico da diretora de fotografia Natasha Braier. Esse cuidado com o visual, completamente integrado ao conceito, poderia servir para mascarar deficiências do andamento da história e desempenho dos atores, mas aqui entra a condução segura de David Michôd, na cadência lenta de uma narrativa com longos planos, construindo suspense e criando a sensação de que uma desgraça está para acontecer. Isso, é claro, amparado pelas ótimas performances de Guy Pearce e Robert Pattinson como a improvável dupla protagonista. O primeiro, da frieza assustadora aos rompantes de fúria, exibe sua perturbação até no jeito de andar, e o segundo conseguiu criar um tipo que verdadeiramente atrai piedade em sua ingenuidade, carência e evidente limitação intelectual, ainda que seja capaz de ações violentas. São dois condenados pela vida, cuja dinâmica lembra muito os dois personagens principais do excelente Três Enterros, dirigido e estrelado por Tommy Lee Jones em 2005.

_ROW1480.nef

The Rover – A Caçada é um filme que não faz concessões nem poupa o espectador de experimentar o desconforto daquele mundo lazarento. Não existem muitas explicações ou alívios nesta estrada, cuja única certeza é que nada será fácil ou agradável. Não há recompensa para aqueles que aguentam mais um dia se arrastando por essa vida, a não ser para o público, que ganha uma experiência cinematográfica cativante e desafiadora.

Qual será o próximo filme de David Michôd?

[su_youtube url=”https://www.youtube.com/watch?v=s8QpnywyxMk&feature=youtu.be”]

Já leu essas?
Crítica de Z: A Cidade Perdida
Z: A Cidade Perdida – James Gray e a busca pelo irrespondível!
A ficção-científica Equals tem novo trailer!
O romance futurista Equals ganha vídeo!
Romance futurista em Equals!
    • Daniel Fontana

      HAHAHAHAHA!Então trabalhei direito.